• Carolina Aita Flores

E o famoso Transtorno Bipolar?


Esta semana vamos falar um pouco sobre o Transtorno Bipolar. Mudanças de humor ocorrem em condições normais no cotidiano de todos nós. Portanto, é natural que todas as pessoas sintam raiva, tédio e outras emoções que dão sentido à nossa vida afetiva. Sendo assim, sentimentos de alegria, tristeza ou irritabilidade não são suficientes para fazer o diagnóstico de um problema psiquiátrico.


Quando falamos em Transtorno Bipolar (TB), nos referimos a uma doença reconhecida há mais de 3 mil anos ao longo da história da medicina. Esse transtorno engloba a presença de vários sintomas e sinais que compõem os episódios depressivos e também os episódios maníacos ou hipomaníacos. Os sintomas desses episódios persistem durante a maior parte do tempo, causam sofrimento e prejuízo no funcionamento habitual do indivíduo.


O episódio depressivo se caracteriza por ser um período de, aproximadamente, duas semanas, em que o humor se encontra deprimido na maior parte do dia, há diminuição do interesse ou prazer pelas atividades, pode haver alterações de peso ou apetite, bem como alterações de sono, fadiga ou perda de energia, sentimentos de inutilidade ou culpa excessiva, dificuldade para pensar ou se concentrar e, até mesmo, pensamentos recorrentes de morte.


Já os episódios maníaco e hipomaníaco consistem de um período de humor anormal e persistentemente elevado, expansivo ou irritável, com aumento da atividade dirigida a objetivos ou aumento da energia, com duração mínima de 1 semana, no caso da mania, ou de pelo menos 4 dias, na hipomania. Além disso, estão presentes sintomas como: autoestima elevada, redução da necessidade de sono, impressão de que os pensamentos estão acelerados, distração, agitação, envolvimento excessivo em atividades potencialmente prejudiciais (p. ex. surtos de compras, indiscrições sexuais, investimentos insensatos, uso de drogas, etc.).


Conheça mais características do TB:

- É uma doença médica séria;

- Até o momento, não existe cura, sendo considerada uma doença para a vida toda;

- Quando mais cedo for diagnosticado, melhor será sua evolução;

- Sua ocorrência é estimada em 8 a cada 100 indivíduos;

- Costuma iniciar entre a adolescência e o começo da vida adulta;

- Manifesta-se igualmente entre homens e mulheres;

- Sua principal causa é genética. Entretanto, fatores psicológicos, sociais, ambientais e físicos podem funcionar como gatilho para sua manifestação;

- É recorrente, ou seja, em 90% dos casos os episódios tendem a se repetir ao longo da vida;

- Se manifesta por meio de mudanças psicológicas, físicas e comportamentais, que são diferentes da maneira habitual de o indivíduo ser e funcionar;

- Quando não tratado, causa grande impacto, comprometendo a qualidade de vida do paciente, da família e dos amigos;

- O tratamento adequado envolve o uso de medicamentos chamados de estabilizadores do humor e requer mudanças no estilo de vida do paciente, sendo fundamental a psicoeducação sobre a doença e seu tratamento para a família e o paciente.


Se você precisa de ajuda para lidar com um quadro de Transtorno Bipolar, saiba que a Terapia Cognitivo-Comportamental é a modalidade de tratamento psicológico mais recomendada para esse diagnóstico. Com a terapia é possível aprender a conhecer seus padrões de comportamento; reconhecer os gatilhos para os episódios de humor; aprender técnicas para lidar com pensamentos, emoções e comportamentos problemáticos; controlar sintomas leves sem alterar a medicação; enfrentar fatores de estresse, entre outros benefícios.


Referência:

MORENO, R. A. et al. Aprendendo a viver com o transtorno bipolar: manual educativo. Porto Alegre: Artmed, 2015.


Autora: Carolina Aita Flores, psicóloga do CTC.

0 visualização
  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • LinkedIn Social Icon
  • Google+ Social Icon

© CTC | 2019

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now