• Carolina Aita Flores

O que é preciso saber sobre o novo Coronavírus?



Em tempos de disseminação rápida de fake news é preciso estar atento para as informações que se recebe e sempre considerar se a fonte da informação é confiável. Com a escalada internacional do Coronavírus as notícias em torno da doença se espalharam tão rápido quanto a própria epidemia. Por isso, é importante fornecer alguns esclarecimentos sobre o Coronavírus, embasados em publicações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde.


Na quarta-feira, 11 de março de 2020, a OMS caracterizou o surto de Coronavírus (do tipo Covid-19) como uma pandemia – termo usado para descrever uma situação em que uma doença infecciosa ameaça muitas pessoas ao redor do mundo simultaneamente. Uma pandemia não se define pela gravidade da doença, mas pelo fator geográfico, quando todas as pessoas no mundo correm risco.


O que são coronavírus e quais são os sintomas?


Os Coronavírus (CoV) são uma família de vírus que causa problemas de saúde que variam desde um resfriado comum até doenças mais graves, como a SARS (Síndrome Respiratória Aguda Grave). O novo coronavírus descoberto em 2019 na China (SARS-Cov-2) é o agente causador da doença pelo coronavírus 2019 (Covid-19).


A doença pelo coronavírus 2019 (Covid-19) é similar a uma gripe. Geralmente é uma doença leve ou moderada, mas alguns casos podem se tornar graves. Os sintomas mais comuns são: febre, tosse e/ou dificuldade para respirar. Alguns pacientes podem apresentar cansaço, dores no corpo, mal estar geral, congestão nasal, corrimento nasal, dor de garganta ou dor no peito.


Algumas pessoas são infectadas, mas não apresentam sintomas ou apresentam sintomas leves, quase imperceptíveis. A maioria das pessoas (cerca de 80%) se recupera da doença sem precisar de tratamento especial. Aproximadamente 1 em cada 6 pessoas com Covid-19 apresenta a forma grave da doença, que pode causar pneumonia, síndrome respiratória aguda grave, falência renal e até mesmo levar ao óbito.


Pessoas idosas e portadoras de certas condições crônicas como pressão alta, doenças cardiovasculares e diabetes têm um maior risco de desenvolver a forma grave.


Não há evidências, até o momento, que indiquem que crianças e mulheres grávidas tenham risco aumentado de contrair a doença.


Pessoas com febre, tosse e dificuldade de respirar devem procurar atendimento médico imediato. Apenas quem estiver com estes sintomas deverá usar máscara como forma de prevenir a dispersão de gotículas respiratórias ao tossir, espirrar ou falar, combinando com a lavagem ou higienização das mãos. Após o atendimento, é importante seguir as recomendações médicas, evitando frequentar ambientes públicos ou mesmo de trabalho, permanecendo em casa até o desaparecimento dos sintomas. Isso irá prevenir a propagação do vírus e a ocorrência de novas infecções.


Como a doença é transmitida?


A doença é transmitida no contato interpessoal, através de gotículas expelidas do nariz e da boca quando uma pessoa infectada com Covid-19 tosse, espirra ou fala, mesmo quando ela apresenta sintomas leves ou nem mesmo se sente doente. Essas gotículas podem ficar depositadas em objetos ou superfícies por horas e outras pessoas podem adquirir o vírus ao tocar nesses objetos ou superfícies contaminadas e depois tocar nos olhos, nariz ou boca. Também é possível se infectar ao respirar diretamente as gotículas contaminadas ou pelo contato direto através do toque ou aperto de mão.


Como é feito o diagnóstico?


O diagnóstico é feito por meio da coleta de materiais respiratórios de pacientes classificados como casos suspeitos de Covid-19. As amostras são encaminhadas para os Laboratórios Centrais de Saúde Pública (Lacen) dos estados para realização de exames de biologia molecular para detecção do RNA viral.


Existe vacina ou tratamento?


Até o momento não há vacina disponível contra o Covid-19. O tratamento disponível evita o agravamento da doença e reduz o desconforto. No entanto, ainda não há medicamento específico para eliminar o coronavírus.

Na maioria dos casos a doença é autolimitada, ou seja, entra em remissão (é curada) espontaneamente. Os casos leves devem ser acompanhados pelas unidades de saúde. Apenas os casos mais graves devem ser encaminhados para hospitais para isolamento e tratamento.


Como se prevenir?


As recomendações-padrão para prevenir que a infecção se espalhe são:


· Lavar as mãos regularmente e cuidadosamente, com água e sabão, ou higienizá-las com álcool-gel 70%, para eliminar vírus que estejam nas mãos;


· Manter distância de, pelo menos, 2 metros entre qualquer pessoa que esteja tossindo ou espirrando, para diminuir o risco de respirar gotículas que contenham o vírus;


· Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas, para evitar que as mãos que estejam contaminadas transfiram o vírus para os olhos, nariz ou a boca;


· Certificar-se de que você e as pessoas ao seu redor pratiquem uma boa etiqueta respiratória, cobrindo a boca e o nariz com o antebraço ou com um lenço descartável quando tossir ou espirrar, descartando o lenço usado imediatamente, para proteger a si e as pessoas ao redor contra os vírus;


· Manter ambientes bem ventilados e evitar compartilhamento de objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas, diminuindo a disseminação do vírus.


Se você não estiver tossindo ou espirrando, não é necessário usar máscara. Deixe as máscaras para quem realmente precisa: pessoas com sintomas e profissionais de saúde que cuidam dos possíveis infectados.


Como se manter informado?


O site da Organização Mundial de Saúde tem se mantido atualizado com as últimas informações sobre o Coronavírus. Além disso, é possível encontrar recomendações para viajantes, uma seção de perguntas e respostas sobre a doença, uma seção sobre mitos envolvendo a doença, além de ser possível fazer uma doação para o fundo criado pela OMS para responder à pandemia.


Outra ferramenta interessante para se manter informado sobre o Covid-19 é o aplicativo desenvolvido pelo Ministério da Saúde, o “Coronavírus – SUS”, disponível para iOs e Android. Através da ferramenta é possível fazer uma autoavaliação de seu estado de saúde, obter dicas sobre a doença e receber notícias sobre o assunto. O aplicativo também disponibiliza o número de WhatsApp (61) 99289-4640 para esclarecimento de dúvidas e o Disque Saúde, serviço que funciona 24 horas por dia, com ligação gratuita através do número 136.


Se você é profissional de saúde, oriente seus pacientes a respeito da etiqueta respiratória e dos cuidados básicos para prevenir que o Covid-19 se espalhe. Se a sua modalidade de atendimento permitir, ofereça sessões on-line para os pacientes que assim o desejarem. Caso mantenha os atendimentos presenciais, disponibilize álcool-gel, atenda a uma distância segura, cumprimente sem contato físico e mantenha as janelas abertas sempre que possível.


Autora: Carolina Aita Flores, psicóloga do CTC


Referências:


BBC Brasil. O que é pandemia e o que muda com a declaração da OMS sobre o novo coronavírus. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/geral-51363153


Ministério da Saúde. Aplicativo “Coronavírus – SUS”. Disponível para iOs e Android.


World Health Organization. Coronavirus disease (COVID-19) outbreak. Disponível em: https://www.who.int/emergencies/diseases/novel-coronavirus-2019

63 visualizações
  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • LinkedIn Social Icon
  • Google+ Social Icon

© CTC | 2019